DestaqueSociedade

Braga. Ai está especial do Rally de Portugal na Augusta Cidade

Aí está o regresso do Rally de Portugal a Braga, com duas Provas Especiais de Competição (PEC) que prometem “animar” o centro histórico da augusta urbe.

A prova arranca junto ao Mercado Municipal, passando pela Travessa do Carmo até à igreja, seguindo depois pela Avenida Visconde de Nespereira, Campo da Vinha e Praça Conde de Agrolongo.

A Rua D. Frei Caetano Brandão é o local seguinte, passando ainda pela Praça do Município, Sé de Braga, Campo das Horas, Museu dos Biscaínhos e pelo Pópulo, terminando nas imediações do Mercado Municipal, na Rua Alferes Alfredo Ferreira.

Ricardo Rio espera que #o evento possa ser visto por cerca de 100 milhões de espectadores de todo o mundo através da televisão, sendo por isso uma natural mais-valia na promoção do centro histórico da cidade de Braga”.

Novas regras e novos carros

São esperadas novas regres e muitas novidades na edição deste ano, que assinala o quinquagésimo aniversário do Rally de Portugal.

Segundo a organização, “os novos regulamentos do Campeonato do Mundo de Ralis trazem a Portugal carros mais espetaculares, mais rápidos, mais competição e mais novidades na lista de inscritos. No total são 17 carros WRC, um recorde nesta temporada do mundial”.

Pela primeira vez desde que a Toyota regressou ao Rally, vai alinhar com três carros, com Esapekka Lappi a juntar-se a Juho Hanninen e a Jari-Matti Latvala, que venceu recentemente o Rali da Suécia.

A Citroën vai apresentar-se com quatro viaturas, com os pilotos Kris Meeke (vencedor do Rali do México), Craig Breen, Stéphane Lefebvre e Khalid Al Qassimi.

Já a Ford apresenta também quatro carros, entre os quais Sebastien Ogier, campeão do mundo, e Ott Tänak, Elfyn Evans e Mads Østberg.

Quanto à Hyundai, apresenta a sua formação habitual com Thierry Neuville (vencedor do Rali da Córsega), Hayden Paddon e Dani Sordo.

A estes juntam-se ainda outros três WRC: Martin Prokop (Ford), Valeriy Gorban (Mini) e Jean-Michel Raoux (Citroen).

No que toca a portugueses, são 23 os pilotos que integram o Campeonato Nacional de Ralis, e 17 vão participar nesta especial de Braga.

Competição mais disputada dos últimos anos

O Vodafone Rally de Portugal (VRP) acontece num momento altamente competitivo: até agora, quatro pilotos de quatro marcas distintas venceram as primeiras quatro provas do campeonato.

“É assim com a emoção redobrada que vai para a estrada mais um Vodafone Rali de Portugal, entre 18 e 21 de maio, disputado pelo terceiro ano consecutivo no norte do país”, informa a organização.

Já na sexta-feira (19), Viana do Castelo recebe o primeiro troço do dia, seguindo-se os troços de Caminha e Ponte de Lima, correndo assim os pilotos em sentido inverso ao das duas últimas edições da prova.

Depois das classificativas no distrito de Viana, a prova ruma a Braga, para disputar o Braga Street Stage.

Sábado arranca com a classificativa de Vieira do Minho, seguindo para aquela que é a grande novidade do dia, Cabeceiras de Basto, na Serra da Cabreira. A fechar o programa de dia 20, a incontornável classificativa de Amarante, que com os seus 37,5 km volta a ser a Especial mais longa e uma das mais exigentes do Rally.

O último dia é uma homenagem do Rally de Portugal e do Automóvel Club de Portugal ao concelho de Fafe, palco de todos os troços de domingo. Além da tradicional dupla passagem pela classificativa de Fafe-Lameirinha, a última das quais disputada sob o regime de Power Stage, são introduzidos dois troços – Luílhas e Montim.

Joana Barbosa e Sofia Mouta são bracarenses e vão disputar as duas especiais neste Vodafone Rali de Portugal. As duas pilotos vão disputar pela segunda vez uma prova em pisos de terra, o que traz “dificuldades acrescidas devido à grande quilometragem”, mas, “nada que impeça a moral e motivação para terminar a prova”, indicaram as automobilistas à imprensa.

Joana Barbosa adiantou mesmo estar “muito contente por termos a oportunidade de alinhar neste Rali, entre os melhores pilotos do mundo”.

A piloto bracarense destacou ainda que “há consciência de que vamos enfrentar muitas dificuldades, quer físicas, quer em termos de ritmo, mas estamos preparadas para superá-las e assim terminar o rali. O objetivo passa acima de tudo por aproveitar ao máximo a experiência”, indicou ainda Joana Barbosa.

comentários